Atenção!

Todos os comentários são da inteira responsabilidade do autor.

Moderação de Comentários Activo

quarta-feira, julho 02, 2008

Mas afinal a rotunda do Marco do Grilo é que quem?




C.M.Sesimbra ou J.F.Fernão Ferro ???????

7 comentários:

Anónimo disse...

Caio a máscara à CMS que andou a dizer que a obra da rotunda era sua,mas agora esta cheia de bandeiras da junta de Fernão Ferro.

Anónimo disse...

A demagogia do executivo de camara de Sesimbra revelou a sua verdadeira face.

peixe-aranha disse...

Caro Pexito do Campo, parece que me leu o pensamento.

Há alguns dias atrás passei na dita rotunda e pensei em voltar lá para tirar uma fotografia e fazer a denúncia no meu blogue.

Parabéns.

Ganhou pela antecipação...

peixe-aranha disse...

Convém recordar que a rotunda foi construída numa parceria entre a C.M. Sesimbra e a C.M. Seixal e que depois dessa construção,uma delas seria responsável pela iluminação da rotunda e outra pela manutenção do jardim.

Mas como o Comité Central do PCP é que manda, a rotunda agora é do Presidente da Junta de Fernão Ferro. É o expoente máximo do Comunismo.

Anónimo disse...

A Câmara do Seixal roubou a rotunda à Câmara de Sesimbra. Esta, por sua vez, roubou o estádio da Vila Amália ao Grupo Desportivo de Sesimbra que anda a roubar a luz à EDP que prepara-se para roubar os seus clientes obrigando-os a pagar as facturas incobráveis(?), etc.
Ladrão que rouba a ladrão...

Anónimo disse...

...tem 100 anos de perdão!

Anónimo disse...

Ora então aqui têm uma bota para descalçar... a história é assim, a C.M.Sesimbra deu em hasta pública a construção da rotunda a concurso, sento a TGA a construtora... no entanto a CMS arcou com todo o seu custo, ficando sem dinheiro para mais financiamentos!
No entanto a Junta de freguesia de Fernão Ferro acordou e pensou... " ee lááá... Marco do Grilo ainda nos pertence!"
Ora nem foi tarde nem foi cedo, foi logo, caiu o "cabo e a trindade" e toda a rotunda, paga por os Sesimbrenses, passou a ser património Ferrensse, ficando os Sesimbreses a arder com uma fortuna gasta uma rotunda que ficou ao abandono, mas tratada, e que cada vez está mais deprimente, e que cada pessoa que passa ali pensa assim : " mas isto era necessário?"